Home » “Bandido não é vítima!”: Derrite critica benefício e defende segurança pública

“Bandido não é vítima!”: Derrite critica benefício e defende segurança pública

por Agora Noticias Brasil
0 Comente
“bandido-nao-e-vitima!”:-derrite-critica-beneficio-e-defende-seguranca-publica

O secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Guilherme Derrite, em artigo para o jornal O Estado de S. Paulo, levantou questionamentos sobre a eficácia e os impactos da saída temporária de presos.

O texto fala especificamente sobre o ataque feito por criminosos contra dois policiais militares na cidade de Santos, no litoral paulista. O cabo Silveira não resistiu e morreu, já o sargento Guilherme, ficou cego de um olho.

  • Siga o canal “AGORA NOTÍCIAS BRASIL” no WhatsApp

Os criminosos que atacaram os policiais eram beneficiados pela “saidinha”, benefício que permite a saída temporária de presos. Um deles, condenado em 2014, não retornou após a saidinha de 2017. O outro, condenado a 12 anos em 2020, também optou por não voltar após sua saída temporária.

Um segundo caso também envolve preso em saída temporária que não retornou para prisão e aconteceu em Votuporanga, interior de São Paulo, e acabou cometendo um homicídio.

– Assim, se a prisão não serve à prestação de justiça às vítimas nem à imposição de custo aos criminosos, serve a quê? Claro, podemos supor que passou a servir somente à ressocialização do criminoso, proporcionando uma inversão de papéis, em que o bandido é visto como a verdadeira vítima da abstrata sociedade – comenta Derrite.

O secretário criticou ainda o grupo de trabalho que conta com a participação de membros do Ministério Público Federal que classificou como populistas as discussões acerca do fim das saídas temporárias.

– Ocorre que no Brasil os olhares se voltam para o criminoso, encobrindo por absoluto a dor da vítima. Assim surgiu a concepção de que se tornar um criminoso é obra da natureza, normalizando a convivência na sociedade de infratores que não completaram suas penas impostas pela Justiça, pois foram favorecidos pelos múltiplos benefícios das leis brasileiras – continuou o secretário.

  • Governo gastou R$ 3,3 bilhões com diárias e passagens em 2023
  • Jovem Pan gera revolta ao comparar negros a macacos

Ainda segundo ele, quase 35 mil detentos deixaram os presídios paulistas e 1,5 mil não retornaram. O número representa 5% dos beneficiados, número que pode parecer pouco, mas que em um ano resulta em 6 mil condenados nas ruas, cometendo novos crimes.

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

Nossa Casa TV © Todos direitos reservados