Home » Caso Djidja: Polícia prende mais pessoas em nova fase de investigação

Caso Djidja: Polícia prende mais pessoas em nova fase de investigação

por Agora Noticias Brasil
0 Comente
caso-djidja:-policia-prende-mais-pessoas-em-nova-fase-de-investigacao

Nesta sexta-feira (7), o ex-namorado de Djidja Cardoso, Bruno Roberto, e o coach Hatus Silveira foram presos. Também foram detidos, dois funcionários de uma clínica veterinária suspeita de fornecer cetamina à família da empresária.

Essa foi uma nova fase da investigação que apura a morte de Djidja. A ex-sinhazinha do Boi Garantido foi encontrada morta no dia 28 de maio, em Manaus (AM).

  • Governo de SP tem 10 dias para explicar escolas cívico-militares
  • BOMBA: Colunista do site UOL sugere que impeachment do ministro Dias Tofolli pode acontecer 
  • AGORA: STJ torna desembargadora ré por propina de R$ 800 mil

A mãe da empresária, Cleusimar Cardoso, o irmão dela, Ademar Cardoso, e três funcionários de uma rede de salões administrada pela empresária já haviam sido detidos e seguem presos.

Hatus se identificava como personal trainer de Djidja. No entanto, a Associação dos Profissionais de Educação Física e Atividade Motora (Apefam) apontou que ele não tem registro para exercer a profissão. Nas redes sociais, ele se identifica como coach.

Em depoimento, ele disse à polícia que teria se afastado da ex-sinhazinha e do grupo religioso criado pela família dela porque foi advertido por um médico sobre os riscos da cetamina.

O inquérito policial indica que um grupo religioso criado pela família da empresária incentivava o uso da droga para obter uma suposta plenitude espiritual.

Segundo o delegado Cícero Túlio, Bruno revelou ainda que tinha uma tatuagem com o nome da seita, mas teria coberto o desenho.

– Ele disse que efetivamente tinha feito a tatuagem durante um dos encontros que foi feito na casa dos investigados, onde eles firmaram compromisso de todos realizarem essa tatuagem. Vi que ele já havia remarcado a tatuagem com outra por cima – explicou.

As investigações indicam que ele estava na casa de Djidja no dia em que ela foi encontrada morta. Ele teria acionado a polícia para comunicar a ocorrência.

Bruno é suspeito de ter abandonado o carro da empresária em uma avenida de Manaus, depois da morte dela. A defesa dele alega que o veículo foi deixado no local após uma pane. As informações são do G1.

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

Nossa Casa TV © Todos direitos reservados