Home » Entenda o projeto sobre escolas cívico-miliares que gerou confusão na Alesp | CNN Brasil

Entenda o projeto sobre escolas cívico-miliares que gerou confusão na Alesp | CNN Brasil

por gustavozanfer
0 Comente
entenda-o-projeto-sobre-escolas-civico-miliares-que-gerou-confusao-na-alesp-|-cnn-brasil

Em uma sessão marcada por confusão, a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou o projeto sobre o Programa Escola Cívico-Militar em São Paulo.

Confusão entre manifestantes e policiais militares na Alesp / Reprodução/X

De autoria do governador Tarcísio de Freitas (Republicanos), o projeto foi aprovado por 54 votos favoráveis e 21 contrários. O texto agora vai à sanção de Tarcísio.

O que é uma escola cívico-militar?

Segundo o projeto, escolas cívico-militares seriam instituições públicas de ensino que foram convertidas para o “modelo cívico-militar” ou novas unidades autorizadas possam seguir esse mesmo modelo.

O programa vai ser implementado em escolas públicas que já existem e em unidades novas.

Sobre o programa

O projeto do governador tem como uma das suas diretrizes elevar a qualidade de ensino medida pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

O Ideb é calculado com base no aprendizado dos alunos em português e matemática (Saeb) e no fluxo escolar (taxa de aprovação).

Entre os objetivos também estão garantir o cumprimento das diretrizes e metas estabelecidas no Plano Estadual de Educação de São Paulo, além de “estimular a promoção dos direitos humanos e do civismo, o respeito à liberdade e o apreço à tolerância como garantia do exercício da cidadania e do compromisso com a superação das desigualdades educacionais”.

Quem vai gerir as escolas?

As escolas cívico-militares estaduais vão ser geridas por um núcleo civil (gestão pedagógica e administrativa) e um núcleo militar (composto de monitores, obrigatoriamente policiais militares da reserva do Estado de São Paulo).

Quem vai custear as escolas?

A Secretaria de Educação seria a responsável por coordenar e implementar o programa, além de financiá-lo.

De acordo com o governo de São Paulo, o investimento nas escolas cívico-militares será o mesmo já previsto nas escolas comuns.

“O impacto orçamentário já está incluso no custo de pessoal da pasta, cujo valor de R$ 7,2 milhões será destinado, anualmente, para o pagamento dos militares”, divulgou o governo.

A pasta também vai ser responsável por selecionar as escolas que vão participar, de forma voluntária, e oferecê-las apoio técnico, como o corpo docente. Policiais militares da reserva podem atuar como monitores, mas terão que passar por um processo seletivo.

A pasta vai seguir os seguintes critérios para a seleção das escolas:

  • aprovação da comunidade escolar para implantação do Programa, por meio de consulta pública;
  • índice de vulnerabilidade social;
  • índices de fluxo escolar;
  • índices de rendimento escolar.

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

Nossa Casa TV © Todos direitos reservados