Home » Mãe de Navalny é informada que filho teve “síndrome da morte súbita“; família tenta localizar o corpo | CNN Brasil

Mãe de Navalny é informada que filho teve “síndrome da morte súbita“; família tenta localizar o corpo | CNN Brasil

por Leo Lopes
0 Comente
mae-de-navalny-e-informada-que-filho-teve-“sindrome-da-morte-subita“;-familia-tenta-localizar-o-corpo-|-cnn-brasil

A mãe de Alexei Navalny foi informada, neste sábado (17), que o mais proeminente opositor russo foi acometido pela “síndrome da morte súbita” e que seu corpo não seria entregue à família até que uma investigação seja concluída.

Navalny ficou inconsciente e morreu na sexta-feira após uma caminhada na colônia penal siberiana “Polar Wolf”, cerca de 1.900 quilômetros a nordeste de Moscou, onde cumpria pena de três décadas.

Os líderes ocidentais prestaram homenagem à coragem de Navalny e, sem citar provas, acusaram o presidente Vladimir Putin de ser o responsável pela morte. O Kremlin disse que a reação do Ocidente foi inaceitável e “absolutamente raivosa”. Putin ainda não comentou a morte de Navalny.

A mãe de Navalny, Lyudmila, de 69 anos, enfrentou temperaturas árticas de -30 ºC para visitar a colônia penal onde seu filho morreu.

Ela recebeu um aviso oficial de falecimento informando a hora da morte como 14h17, horário local (6h17, no horário de Brasília), do dia 16 de fevereiro, disse a porta-voz de Navalny, Kira Yarmysh, à Reuters.

“Quando o advogado e a mãe de Alexei chegaram à prisão esta manhã, foram informados de que a causa da morte de Navalny foi a ‘síndrome da morte súbita’”, disse Ivan Zhdanov, que dirige a Fundação Anticorrupção de Navalny, na plataforma de rede social X (antigo Twitter).

“Síndrome da morte súbita” é um termo vago para diferentes síndromes cardíacas que causam parada cardíaca súbita e morte.

Também não está claro onde está o corpo de Navalny, disse sua equipe.

Sua mãe foi informada de que o corpo havia sido levado para Salekhard, a cidade próxima ao complexo penitenciário, mas quando ela chegou ao necrotério da cidade ele estava fechado.

Quando contatado pelo advogado de Navalny, o necrotério disse que não tinha o corpo de Navalny , disse Yarmysh.

Mais tarde, os funcionários disseram a eles que o corpo não seria entregue até que a investigação estivesse concluída, embora anteriormente tivessem sido informados de que a investigação não tinha descoberto quaisquer vestígios de crime.

“Neste momento não temos acesso ao corpo e não sabemos ao certo onde está, e exigimos que as autoridades russas entreguem imediatamente o corpo de Alexei à sua família”, disse Yarmysh numa entrevista.

  • 1 de 10

    Alexei Navalny em uma cama de hospital, em Berlim, na Alemanha, com a esposa e seus dois filhos durante seu tratamento após ser envenenado.

    Crédito: Handout/Anadolu Agency via Getty Images

  • 2 de 10

    Alexei Navalny durante audiência em Moscou

    Crédito: 22/8/2019 REUTERS/Evgenia Novozhenina

  • 3 de 10

    Alexei Navalny em Moscou

    Crédito: 21/12/2011 REUTERS/Denis Sinyakov

  • 4 de 10

    Alexei Navalny

    Crédito: REUTERS

  • 5 de 10

    Líder da oposição russa Alexei Navalny em videoconferência durante audiência judicial em Moscou

    Crédito: 31/05/2023 Tribunal da Cidade de Moscou/Divulgação via REUTERS

  • 6 de 10

    Tribunal russo na abertura de um caso contra Navalny

    Crédito: Navalny, advogados e outros participantes são vistos em vídeo link durante audiência externa de tribunal de Moscou na colônia penal onde o líder de oposição está preso19/06/2023REUTERS/Evgenia Novozhenina

  • 7 de 10

    Frame do documentário “Navalny”, produção da CNN, que venceu o Oscar de Melhor Documentário

    Crédito: CNN

  • 8 de 10

    Alexei Navalny, principal opositor do governo do Kremlin

    Crédito: Reuters

  • 9 de 10

    Alexei Navalny

    Crédito: Foto: Instagram/ Reprodução

  • 10 de 10

    Alexey Navalny dentro de cela durante audiência em Moscou

    Crédito: Foto: BABUSHKINSKY DISTRICT COURT/REUTERS

Um funcionário do único necrotério de Salekhard disse à Reuters que o corpo de Navalny não havia chegado.

A morte de Navalny, um antigo advogado, rouba da vacilante oposição russa o seu líder mais carismático e corajoso, enquanto Putin se prepara para uma eleição que o manterá o no poder até pelo menos 2030.

Os apoiadores de Navalny – incluindo no Ocidente – apresentavam Navalny como uma versão russa de Nelson Mandela da África do Sul, que um dia sairia livre para liderar o país.

Alguns russos, porém, rejeitaram tal visão como um caso clássico de ilusão, e apontaram para uma pesquisa de opinião que mostrava que a maioria dos russos o desaprovava e que Putin era muito mais popular.

As autoridades russas viam Navalny e os seus apoiadores como extremistas com ligações à agência de inteligência americana CIA, que dizem estar tentando desestabilizar a Rússia.

Navalny sempre rejeitou as acusações de que estava a serviço da CIA.

Desespero e apatia

Alguns russos deixaram flores em Moscou e outras cidades russas em homenagem a Navalny, embora durante a noite centenas de flores e velas tenham sido retiradas em sacos pretos pelas autoridades.

No centro de Moscou, várias dezenas de rosas e cravos permaneceram na neve amolecida na manhã deste sábado, no monumento às vítimas da repressão soviética, que fica à sombra da antiga sede da KGB, na Praça Lubyanka.

Vladimir Nikitin, 36 anos, estava sozinho colocando um cravo na Pedra Solovetsky, que vem das ilhas de mesmo nome no Mar Branco, onde um dos primeiros campos de trabalhos forçados “Gulag” foi fundado em 1923 pelos bolcheviques.

“A morte de Navalny é terrível: as esperanças foram destruídas”, disse Nikitin.

“Navalny era um homem muito sério, um homem corajoso e agora não está mais entre nós. Ele falou a verdade – e isso foi muito perigoso porque algumas pessoas não gostaram da verdade.”

No memorial do “Muro da Tristeza”, na avenida que leva o nome do físico e dissidente soviético Andrei Sakharov, alguns russos depositaram flores ao lado de fotos de Navalny. Uma mensagem dizia: “Não esqueceremos, nem perdoaremos”.

O grupo de monitoramento de protestos OVD-Info disse que mais de 270 pessoas foram presas em toda a Rússia em reuniões e memoriais em homenagem a Navalny desde que sua morte foi anunciada.

Os opositores de Putin disseram que a morte de Navalny ilustrou o quão perigosa a Rússia de Putin se tornou 32 anos depois que a queda da União Soviética em 1991 deu início às esperanças de um futuro melhor.

“Alexei não morreu – ele foi assassinado”, disse a porta-voz de Navalny  Yarmysh. Sua visão, ela disse, continuaria viva.

“Perdemos nosso líder, mas não perdemos nossas ideias e nossas crenças.”

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

Nossa Casa TV © Todos direitos reservados