Home » Ministros nomeados por Lula para conselho de distribuidora de gás recebem remuneração extra de R$ 20 mil

Ministros nomeados por Lula para conselho de distribuidora de gás recebem remuneração extra de R$ 20 mil

por Agora Noticias Brasil
0 Comente
ministros-nomeados-por-lula-para-conselho-de-distribuidora-de-gas-recebem-remuneracao-extra-de-r$-20-mil

 

Silvio Almeida, José Múcio, Ricardo Cappelli e Celso Amorim estão na mesma lista

A administração de Luiz Inácio Lula da Silva nomeou membros de alto nível para o conselho administrativo da Companhia Distribuidora de Gás do Rio de Janeiro (CEG). Os ministros da Defesa, José Múcio, e dos Direitos Humanos e Cidadania, Silvio Almeida, estão entre os nomeados. Ricardo Cappelli, ex-secretário-executivo do Ministério da Justiça, e o assessor especial Celso Amorim também foram incluídos.

Os quatro ganham aproximadamente R$ 20 mil mensalmente para comparecerem a encontros ocasionais com outros oito conselheiros.

Ministros nomeados por Lula para conselho de distribuidora de gás no Rio de Janeiro recebem remuneração de R$ 20 mil.

Almeida, Múcio, Cappelli e Amorim foram promovidos a cargos superiores por recomendação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o acionista majoritário da CEG. A assembleia da empresa, que está sob o controle da multinacional espanhola Naturgy, deu seu aval aos nomes sugeridos.

A última reunião ocorreu em 24 de fevereiro, sendo a única do ano. No ano anterior, foram realizadas seis reuniões. Isso implica que os conselheiros debatem a direção da CEG aproximadamente a cada 60 dias.

 

A explicação do BNDES

Quando questionado pela Revista Oeste, o banco confirmou que não leva em conta a experiência anterior dos conselheiros no ramo de distribuição de gás. O objetivo é “prestigiar a diversidade” na formação do conselho.

A alegação da instituição financeira é de que este modelo de administração é vantajoso para a empresa, pois valoriza “a diversidade de conhecimentos, experiências, comportamentos, aspectos culturais, faixa etária, étnica e de gênero”.

A questão das indicações à CEG foi levantada pela Revista Oeste junto ao BNDES. O banco justificou tais indicações mencionando a formação acadêmica dos conselheiros e suas vivências em empresas e instituições públicas. Foi ressaltado que Almeida, Múcio, Cappelli e Amorim nunca tiveram experiência no setor de distribuição de gás.

A Manobra Política do Governo Lula

A nomeação de ministros para conselhos de administração de empresas públicas se tornou uma prática frequente no governo atual. Tal medida é utilizada para aumentar os rendimentos dos aliados e para preservar o domínio sobre as empresas.

A ação tem como objetivo contornar a Lei 14.520/23, que define o limite salarial do setor público em R$ 44 mil.

No último ano, por exemplo, a empresa metalúrgica Tupy confirmou a presença de Carlos Lupi (Previdência Social) e Anielle Franco (Igualdade Racial) em seu conselho administrativo.

Da mesma forma que ocorreu com Almeida, Múcio, Cappelli e Amorim, as nomeações de Anielle e Lupi foram feitas através do BNDES, que possui quase 30% da empresa.

Um conselheiro da Tupy recebe um salário mensal superior a R$ 36 mil, totalizando uma remuneração anual de R$ 433,4 mil. Além disso, existem outros benefícios. Ao somar o salário padrão com a remuneração por participação em comitês na Tupy, a média anual atinge R$ 634,9 mil. Assim, em um período de 12 meses, essa quantia ultrapassa R$ 50 mil por mês.

Quando questionado sobre as nomeações para a Tupy, o BNDES afirmou que Anielle Franco e Carlos Lupi estão qualificados para a posição. Ambos nunca atuaram no setor metalúrgico. As informações são da Revista Oeste.

 

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

Nossa Casa TV © Todos direitos reservados