Home » O primeiro conflito de interesses do ministro político Dino no STF

O primeiro conflito de interesses do ministro político Dino no STF

por Agora Noticias Brasil
0 Comente
o-primeiro-conflito-de-interesses-do-ministro-politico-dino-no-stf

Indicado por Lula para o Supremo Tribunal Federal (STF) como “ministro com a cabeça política”, Flávio Dino enfrentou na quarta-feira, 28, seu primeiro caso de conflito de interesses no tribunal. Foi no julgamento das sobras eleitorais — e o ex-ministro da Justiça de Lula votou de uma forma que daria um mandato de deputado federal para o PSB, partido a que estava filiado até o mês passado.

Dino foi voto vencido. Por 6 a 5, a maioria do STF decidiu que regras aprovadas em 2021 para a divisão das vagas no Legislativo federal não vão mais valer, mas valeram para a eleição de 2022. Caso os ministros tivessem decidiu que a mudança de norma deveria retroagir, como votou Dino, sete deputados teriam as suas eleições anuladas e uma das vagas iria para o PSB — essas contas foram feiras pela Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político (Abradep).

A advogada Vera Chemim, especializada em direito constitucional, disse à Folha de S.Paulo que “não se pode negar que o ministro Flávio Dino teria interesse no objeto daquela ação, mesmo tendo se desvinculado recentemente do seu partido político para assumir a sua função como ministro do STF”.

  • Foragida do FBI, Patrícia Lélis é derrotada em ações judiciais
  • Congresso articula blindagem contra STF com propostas visam ampliar imunidade parlamentar
  • Moraes vota para condenar mais 15 réus pelos ataques de 8 de janeiro

“Defendeu incisivamente“

Segundo ela, “a despeito de ter sido derrotado, Flávio Dino votou, não apenas pela inconstitucionalidade da norma eleitoral, como defendeu incisivamente a sua retroatividade, o que demonstra claramente o seu interesse no resultado daquele julgamento”.

Há quem não enxergue o conflito, pois Dino “não teve nenhum benefício pessoal com isso e não há um envolvimento ou ação específica dele enquanto filiado à agremiação eleitoral no sentido de pleitear a tese que acabou adotando já como ministro”. É o que disse à mesma Folha Aílton Soares de Oliveira, advogado da área de contencioso estratégico e constitucional.

A dúvida sobre a conduta do ministro com a cabeça política indicado por Lula não existiria caso ele tivesse se declarado impedido de julgar o caso. Mas, a julgar pelo seu primeiro voto no plenário físico do STF, as dúvidas persistirão em todos os julgamentos que envolverem questões político-partidárias.

Era esse o sonho de Lula?

O Antagonista

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

Nossa Casa TV © Todos direitos reservados