Home » Otan está preocupada com possível apoio russo ao programa nuclear da Coreia do Norte | CNN Brasil

Otan está preocupada com possível apoio russo ao programa nuclear da Coreia do Norte | CNN Brasil

por tiagotortella
0 Comente
otan-esta-preocupada-com-possivel-apoio-russo-ao-programa-nuclear-da-coreia-do-norte-|-cnn-brasil

A Otan, a aliança militar ocidental, está preocupada com o apoio que a Rússia poderia fornecer aos programas nuclear e de mísseis da Coreia do Norte, disse o chefe da organização nesta terça-feira (18).

Também nesta terça, o presidente russo, Vladimir Putin, começou sua primeira viagem ao país asiático em 24 anos.

Putin, que terá conversas com o líder Kim Jong-un, prometeu aprofundar os laços comerciais e de segurança e apoiar o país contra os EUA, um aliado próximo da Coreia do Sul.

Os EUA acusaram a Coreia do Norte de fornecer “dezenas de mísseis balísticos e mais de 11 mil contêineres de munições à Rússia” para uso na Ucrânia.

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, disse em uma coletiva de imprensa conjunta após conversas com o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, que a guerra da Rússia na Ucrânia está sendo apoiada pela China, Coreia do Norte e Irã, que queriam ver a aliança ocidental fracassar.

“É claro que também estamos preocupados com o possível suporte que a Rússia fornece à Coreia do Norte quando se trata de apoiar seus programas de mísseis e nucleares”, advertiu Stoltenberg.

Stoltenberg critica China

O secretário-geral ressaltou que essas questões, aliadas ao apoio da China à economia de guerra da Rússia, mostraram como os desafios de segurança na Europa estão ligados à Ásia.

Além disso, acrescentou que a cúpula da Otan, que será realizada no mês que vem em Washington, verá um fortalecimento das parcerias da aliança com a Austrália, Nova Zelândia, Coreia do Sul e Japão.

Stoltenberg destacou que precisa haver “consequências” em algum momento para a China.

“Eles não podem continuar tendo relações comerciais normais com países na Europa e ao mesmo tempo alimentar a maior guerra que vimos na Europa desde a Segunda Guerra Mundial”, ponderou.

Stoltenberg afirmou, entretanto, que é muito cedo para dizer quais seriam essas consequências, “mas tem que ser uma questão que precisamos abordar, porque continuar como fazemos hoje não é viável”.

Casa Branca observa relação entre Rússia e Coreia do Norte

Na segunda-feira (17), o porta-voz de Segurança Nacional da Casa Branca, John Kirby, disse que os EUA estava observando o relacionamento entre a Coreia do Norte e a Rússia “muito, muito de perto”, pois “poderia haver alguma reciprocidade que poderia afetar a segurança na Península Coreana”.

Nesta terça-feira, a porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, pontuou em uma entrevista coletiva que o aprofundamento da cooperação entre os dois países é “uma tendência que deveria ser uma grande preocupação para qualquer pessoa interessada em manter a paz e a estabilidade na Península Coreana”.

Ela observou que uma declaração de Putin e do líder chinês Xi Jinping após uma reunião em maio enfatizou meios políticos e diplomáticos como a única maneira de resolver a questão coreana e acrescentou: “Esperamos que esta seja uma mensagem que Putin transmita a Kim”.

Na entrevista coletiva com Stoltenberg, Blinken ressaltou que a viagem de Putin a Pyongyang é um sinal de seu “desespero” para fortalecer as relações com países que podem apoiar a guerra na Ucrânia.

Ele acrescentou que o apoio da China permitiu que a Rússia mantivesse sua base industrial de defesa, fornecendo 70% das importações de máquinas e ferramentas de Moscou e 90% da microeletrônica. “Isso tem que parar”, alertou.

Na semana passada, o vice-secretário de Estado dos EUA, Kurt Campbell, afirmou que o governo americano estava preocupado com o que a Rússia daria à Coreia do Norte em troca das armas que Pyongyang forneceu.

“Moeda forte? É energia? São capacidades que permitem que eles avancem seus produtos nucleares ou de mísseis? Não sabemos. Mas estamos preocupados com isso e observando cuidadosamente”, comentou.

A principal autoridade de controle de armas dos EUA, a subsecretária de Estado Bonnie Jenkins, disse que acredita que a Coreia do Norte está interessada em adquirir aeronaves, mísseis terra-ar, veículos blindados, equipamentos ou materiais de produção de mísseis balísticos e outras tecnologias avançadas da Rússia.

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

Nossa Casa TV © Todos direitos reservados