Home » Servidores aumentam pressão ao governo e insistem em aumento para 2024

Servidores aumentam pressão ao governo e insistem em aumento para 2024

por Agora Noticias Brasil
0 Comente
servidores-aumentam-pressao-ao-governo-e-insistem-em-aumento-para-2024

Com uma resposta incerta por parte do governo, servidores públicos federais planejam aumentar a pressão contra o Executivo para insistir na negociação de um aumento salarial em 2024. Algumas categorias, como a dos funcionários do Banco Central, iniciaram paralisações. A possibilidade de greve começou a ser discutida entre servidores da Controladoria-Geral da União (CGU) e do Tesouro Nacional.

Na avaliação de Rudinei Marques, presidente do Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate), o movimento deve se intensificar nas próximas semanas, em ações que devem se desenrolar antes de junho – prazo estipulado pelo governo para confirmar o possível reajuste. Até o momento, o Ministério da Gestão e Inovação garante adequações para o próximo biênio – nos anos de 2025 e 2026. Além de uma recomposição de benefícios, como tíquete alimentação e creche. A possibilidade foi criticada por diferentes categorias, por não contemplar aposentados.

“Os servidores saíram indignados da última reunião com o governo para discutir a questão salarial, porque depois de 6 anos de ataques reiterados do governo Temer e Bolsonaro, todos esperavam que o governo fosse retomar a política de valorização do serviço público federal”, analisa Marques, a respeito de reunião que analisou o pedido apresentado pelo servidores na última quinta-feira (28).

  • Corpo de 2° militar que desapareceu após barco naufragar em rio de MT é encontrado
  • Fórmula1: Max Verstappen humilha à concorrência e vence o GP do Bahrein 
  • Moraes inclui responsabilização de redes sociais por conteúdos direcionados em tese para USP; veja 4 conclusões

O presidente do Fórum também afirma haver análise de que há recursos disponíveis para atender categorias do serviço público, e que essa é a motivação para outras ações por parte dos funcionários: “É bem verdade que tivemos o reajuste emergencial, mas o nome já diz em que circunstâncias ele veio, no ano passado. Mas chegou o momento de retomar o fortalecimento do serviço público. E aí o governo anuncia um congelamento o que revoltou as lideranças e não nos deixou opção a não ser intensificar as mobilizações”.

Na última reunião, o secretário de Relações do Trabalho do MGI, José Lopez Feijoó, afirmou que o governo aguarda a confirmação da arrecadação extra no ano para definir se haverá reajuste salarial aos servidores públicos. A expectativa apresentada foi de que a resposta seja dada apenas em junho, o que provocou insatisfação dos servidores.

Pedido de servidores
Conforme noticiou o SBT News, servidores públicos federais ligados ao Fonacate protocolaram em janeiro uma contraproposta para reajuste salarial ao governo. O documento formalizou pedido para que o reajuste parcelado, de 9% em 2025 e 2026, sugerido pelo Executivo, seja antecipado para este ano. Servidores também propuseram outros aumentos: de duas parcelas de 7,5% no próximo biênio. O texto também pedia para que as parcelas fossem oficializadas nos meses de maio, de cada ano.

O documento rebateu uma sugestão enviada pelo governo em dezembro. À época, a pasta definiu que um aumento salarial ficaria para os anos de 2025 e 2026 e que, para este ano, os benefícios seriam voltados em aumentos nos auxílios alimentação, creche e saúde.

No caso dos benefícios, a adequação proposta foi de 51%. No caso do vale alimentação, o aumento proposto foi de passar dos R$ 658 para R$ 1 mil. A recomposição salarial, no entanto, ficou de fora, com sugestão de ser paga em duas parcelas de 4,5%, em 2025 e 2026.

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

Nossa Casa TV © Todos direitos reservados