Home » Vídeo: segunda onda de enchentes atinge Bangladesh; quase 2 milhões estão desabrigados | CNN Brasil

Vídeo: segunda onda de enchentes atinge Bangladesh; quase 2 milhões estão desabrigados | CNN Brasil

por Luciana Caczan
0 Comente
video:-segunda-onda-de-enchentes-atinge-bangladesh;-quase-2-milhoes-estao-desabrigados-|-cnn-brasil

Enchentes intensas deixaram cerca de 1,8 milhão de pessoas presas no nordeste de Bangladesh, depois de semanas de fortes chuvas que inundaram casas e desvataram terras agrícolas, de acordo com a mídia estatal e agências humanitárias.

Imagens mostram grandes faixas da cidade de Sylhet e da cidade vizinha de Sunamganj debaixo d’água na segunda onda de inundações que atingiu a região em menos de um mês, informou a agência estatal de notícias Bangladesh Sangbad Sangstha (BSS) neste sábado (21). Veja o vídeo:

As inundações generalizadas foram desencadeadas por chuvas torrenciais prolongadas e escoamento de água das regiões montanhosas a montante na fronteira com a Índia, o que fez com que quatro rios ultrapassassem seus níveis de perigo, informou a Water Development Board na semana passada, de acordo com a mídia local.

Moradores das áreas mais afetadas e baixas de Sylhet foram vistos atravessando águas até o peito e empilhando seus pertences para protegê-los das águas lamacentas.

Há preocupação com aqueles presos pelas águas das enchentes, que agora enfrentam escassez de alimentos e falta de água limpa, segundo a mídia local.

Cerca de 964 mil pessoas em Sylhet e 792 mil em Sunamganj foram afetadas pelas enchentes e as autoridades disseram ter criado mais de 6 mil abrigos para ajudar os deslocados, informou a BSS.

Entre eles estão 772 mil crianças que precisavam urgentemente de assistência, disse o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) na sexta-feira (21). Mais de 800 escolas foram inundadas, com outras 500 usadas como abrigos contra inundações, disse a agência.

“À medida que as águas sobem, as crianças são as mais vulneráveis, enfrentando riscos elevados de afogamento, desnutrição, doenças mortais transmitidas pela água, o trauma do deslocamento e o potencial abuso em abrigos superlotados”, disse Sheldon Yett, representante do UNICEF em Bangladesh, em um comunicado.

A organização internacional de desenvolvimento BRAC disse que está ajudando a fornecer alimentos de emergência e apoio à saúde a centenas de famílias em Sylhet e Sunamganj. Cerca de 2,25 milhões de pessoas foram afetadas pelas inundações repentinas, que deixaram 12 mil pessoas na região sem energia.

Khondoker Golam Tawhid, chefe do programa do Programa de Gerenciamento de Riscos de Desastres do BRAC, disse que as inundações no país estão “se tornando mais perigosas” com “enormes perdas de meios de subsistência, biodiversidade e infraestrutura – e interrupção da escolarização e serviços de saúde.”

“Bangladesh está acostumado a inundações, mas as mudanças climáticas estão tornando as inundações mais intensas e menos previsíveis, tornando impossível para as famílias permanecerem seguras, muito menos planejar com antecedência”, disse Tawhid.

Enquanto isso, os piscicultores enfrentaram perdas significativas, com as águas das enchentes arrastando milhares de fazendas e tanques de peixes, resultando em um prejuízo econômico relatado pela mídia local de mais de 11,4 milhões de dólares.

Bangladesh, densamente povoada e de baixa altitude, é propensa a chuvas sazonais, inundações e ciclones.

Mas o país do sul da Ásia é um dos mais vulneráveis do mundo aos impactos da crise climática causada pelo homem, mostram estudos. À medida que os eventos climáticos extremos se tornam mais frequentes e severos como resultado da crise climática, os impactos humanitários e econômicos em Bangladesh continuarão a se deteriorar.

Até 2050, estima-se que 13 milhões de pessoas em Bangladesh poderão se tornar imigrantes climáticos, e inundações severas poderão reduzir o PIB em até 9%, de acordo com o Banco Mundial.

A última série de fortes chuvas e inundações chegou quando a região mal havia se recuperado das inundações generalizadas no final de maio, causadas pelo Ciclone Tropical Remal, que atingiu Bangladesh e o sul da Índia e afetou cerca de 5 milhões de pessoas.

“Para muitos, isso mudará o curso de suas vidas, deixando-os sem casas e escolas e forçando-os a se mudar para abrigos temporários por tempo indeterminado”, disse Sultana Begum, gerente regional de defesa humanitária e política da Save the Children para a Ásia, em um comunicado.

“Tudo o que estamos ouvindo aponta para esses tipos de eventos climáticos extremos ficando cada vez piores. E certamente não vimos duas crises de inundações graves acontecerem em uma sucessão tão rápida antes. Não se enganem, a emergência climática já está deixando sua marca na Índia e em Bangladesh, e está roubando as crianças de suas casas, famílias, alimentos, água e acesso à educação e saúde.”

Rohingya vulneráveis

Chuvas de monção e deslizamentos de terra também afetaram o sul de Bangladesh, onde cerca de um milhão de pessoas da comunidade muçulmana rohingya vivem nos maiores campos de refugiados do mundo, após fugirem da perseguição e da violência na vizinha Mianmar.

Pelo menos 10 pessoas, incluindo três crianças, morreram devido a deslizamentos de terra e fortes chuvas nos campos de refugiados perto de Cox’s Bazar na quarta-feira (19), de acordo com o Ministério de Gestão de Desastres e Socorro de Bangladesh.

“As pessoas foram retiradas das áreas baixas e pelo menos 500 pessoas foram transferidas para outros centros de socorro”, disse Hasan Sarwar, chefe da célula de refugiados do ministério à CNN na semana passada.

Muitos refugiados rohingya vivem em abrigos de bambu e lona empoleirados em encostas montanhosas que são vulneráveis a ventos fortes, chuva e deslizamentos de terra.

A Save the Children informou que cerca de oito mil pessoas em 33 campos foram impactadas pelas chuvas torrenciais, que destruíram ou danificaram mais de mil abrigos.

O grupo humanitário observou que a temporada de monções em Bangladesh apenas começou e durará pelos próximos dois meses, com o potencial de trazer mais chuvas fortes, deslizamentos de terra e inundações.

Deslizamentos de terra, chuvas fortes e inundações também atingiram o estado indiano vizinho de Assam, afetando mais de 4 milhões de pessoas, de acordo com a Save the Children.

Pelo menos 31 pessoas morreram nas enchentes e deslizamentos de terra desde 29 de maio no estado, de acordo com a polícia local e autoridades de gestão de desastres.

Algum alívio imediato para o nordeste de Bangladesh está à vista, entretanto, com o início da diminuição das chuvas e sinais de que as águas das enchentes estão começando a recuar, informou a mídia local.

O Conselho de Desenvolvimento da Água de Bangladesh disse no sábado (22) que os níveis de água dos principais rios do nordeste estão caindo e a tendência pode continuar nos próximos dias se não houver mais chuvas.

“Melhorias gerais na situação das inundações em várias áreas de baixa altitude nos distritos da parte nordeste do país podem continuar nas próximas 72 horas”, afirmou o comunicado.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

inglês

versão original

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

Nossa Casa TV © Todos direitos reservados